quarta-feira, 25 de junho de 2008

Travessuras da menina má


Foi a primeira vez que peguei um livro do peruano Mario Vargas Llosa para ler e já fiquei muito ansiosa em conhecer suas outras obras. Travessuras da menina má, da Editora Record, é surpreendentemente romântico e irritante. Consegue entender? Vargas Llosa cria um personagem capaz de se fazer detestar e ao mesmo tempo, ser digna de piedade.

O peruano Ricardo decide largar seu país e ir em busca de seu sonho: viver em Paris. Ao reencontrar seu amor dos tempos da adolescência, a nada doce Lily, Ricardito se surpreende com uma "menina má" repleta de travessuras capazes de deixá-lo à beira de um ataque de nervos ou até da morte.

Em inúmeras idas e vindas, Ricardo, o "menino bom", reconhece muitas mulheres em Lily, que usou e abusou de todas as facetas femininas para ter uma vida rica e conseguir o que queria. Enquanto alguns encontros proporcionam momentos felicíssimos para Ricardo, outros deixam claro que a "menina má" não é mulher para aquele pequeno burguês.

Porém, o amor do peruano é tamanho que ele se deixa levar pelo coração numa narrativa que Vargas Llosa mostra todos os encantos e desencantos em Paris, Londres, Japão e Madri. Durante uma boa parte da leitura, a "menina má" se faz odiar. Perguntei-me diversas vezes o que ela teria de tão bom para Ricardo nunca esquecê-la. Foi quando me deparei com a minha afeição por ela. Torci, até o fim, para que tudo desse certo e compreendi o, aparentemente, incompreensível.

Os sete capítulos proporcionam uma leitura rápida e gostosa em suas 304 páginas. Enquanto o "menino bom" e a "menina má" se encontram e desencontram, o autor revela as transformações sociais européias e as convulsões políticas da América Latina. É fácil perceber que Ricardo muito tem a ver com Vargas Llosa, do tempo em que morou em Paris e viveu como tradutor.

“Para falar de amor, inevitavelmente é preciso recorrer também à nossa própria experiência, mas digamos que, aqui, metade é imaginação e a outra metade feita de recordações”, disse o autor em uma entrevista ao jornal argentino Clarín.

Jornalista, dramaturgo, ensaísta e crítico literário, Mario Vargas Llosa é um escritor consagrado internacionalmente. Ganhou notoriedade literária com a publicação do premiado romance A cidade e os cachorros (1961) no qual já estou à procura para começar a minha leitura. Outros romances do autor como Conversa na Catedral, Pantaleão e as Visitadoras, Tia Júlia e o Escrevinhador, A Guerra do Fim do Mundo e Quem Matou Palomino Molero? Também estão na minha fila de espera.

Só uma coisa me aborreceu durante a leitura do livro. As passagens em que os personagens fazem citações em francês não são traduzidas e, infelizmente, passaram em branco para mim. Se ainda estivessem em italiano ou inglês seria mais fácil. Se assim tem de ser, vou procurar uma Aliança Francesa da vida. No mais, vale a pena!


Travessuras da Menina Má
Autor: Mario Vargas Llosa
Editora Record
304 páginas
R$ 39,90

3 comentários:

Newton disse...

Ainda vou comprar os livros que você coloca aqui. Poxa dá vontade de ler todos. Mas com paciência consigo, se não fico doido! Mais do que já sou! Hahah!!!

Newton disse...

Postei o assunto do filme no lugar errado! Desculpa galera! Tem como concertar? Vou tentar aqui.
Beijos!

Nayra Garofle disse...

Leia sim, Newton. Esse do Vargas Llosa, por exemplo, vale muito a pena.